Afinal, deixo ou não meu filho ter contato com a tecnologia?

Afinal, deixo ou não meu filho ter contato com a tecnologia?

Essa foi uma questão que estudei muito antes de ter o meu filho, via muitas mães com filhos que ficavam horas e horas na frente da televisão e isso sempre me revoltou, por isso pesquisei bastante o mal que a tecnologia causa em nossas crianças.

Como é aqui em casa

Enquanto estava gravida tinha certeza que meu filho não teria nenhum contato com televisão ou derivados até pelo menos os 02 anos.. mas alguém ai já ouviu falar que a maternidade nos permite ter a maior humildade do mundo e reconhecer que falamos uma série de coisas e julgamos outras tantas e que fazemos iguais? Bom, claro que lá em casa meu filho não vive o tempo todo na frente da televisão, porem ele gosta muito, e muitas vezes é o que me salva quando preciso fazer a janta, ou fazer alguma outra coisa em que realmente preciso de um tempo…

O fato é, brincadeiras ao ar livre como amarelinha, carrinho de rolimã, pular corda, passeios ao parque, andar de bicicleta, praticar algum esporte, e inúmeras outras atividades que muitas vezes não vemos mais com tanta frequência são mais do que recomendadas e podem ajudar nossas crianças a serem mais saudáveis.

Tecnologia para o bem

Mas não podemos ser radicais, até porque a tecnologia está aí para nos ajudar. Em doses pequenas, pode ser muito produtiva para a educação e entretenimento dos nossos pequenos, em casa estamos na fase que ele canta junto com a galinha pintadinha, já sabe contar até 10 e fala algumas cores, além do incentivo de casa e da escola, vejo que ele decorou as falas do desenho e já usa bem essas coisas, porém como nada em excesso faz bem, ela traz alguns problemas para as crianças.

Consequências do excesso

Fizemos uma listinha de alguns dos principais problemas que a falta de exercícios físicos pode trazer para crianças:

OBESIDADE INFANTIL: O sedentarismo pode levar à doenças como diabetes, problemas cardíacos e vasculares.
FALTA DE ATENÇÃO: O uso excessivo pode acarretar problemas na concentração e memória, diminuindo assim, o rendimento escolar da criança.
DESVIO DE CONDUTA: Com a quantidade de conteúdo que pode ser consumido numa velocidade muito grande, se for exposto a um tipo agressivo ou violento, pode gerar mudança no comportamento da criança. Os pais precisam filtrar o que seus filhos podem ou não assistir na internet.
DOENÇAS MENTAIS: Estudos apontam que, por conta do excesso, houve um aumento significativo de doenças cerebrais como Ansiedade infantil e até Depressão, além de déficit de atenção, transtornos bipolares e etc.

tecnologia

Regras que podem ser usadas:

Sendo assim segue algumas dicas para utilizar os eletrônicos de maneira consciente:

Utilize-os como um aliado apenas naqueles momentos em que realmente precisa de uma distração aos pequenos, fazendo um acordo consigo mesmo de não deixar apenas porque isso lhe traz sossego;

Selecione bem o conteúdo que a criança tem acesso: Fique atento ao que o seu filho está acessando, não deixe que ele fique mexendo no celular trancado no quarto, esteja atento ao tipo de linguagem que o programa transmite, qual mensagem ele passa e na dúvida, busque a restrição de idades do programa;

Marque o tempo: muitas vezes arrumamos uma série de demandas que nos privam de ter mais tempo com nossos filhos, seja cuidando de casa, levando o trabalho para ser feito nas horas vagas, ou até para os estudos, saiba que ao nos tornar pais, precisamos deixar muitas vezes algumas de nossas prioridades para segundo plano em prol de nossos pequenos, e não vamos poder fazer tudo o que gostaríamos, tenha equilíbrio neste ponto.

Por essas e outras, nós devemos nos atentar à forma que nossos filhos são introduzidos ao mundo tecnológico, mas com o acompanhamento dos pais, nossas crianças continuarão a brincar por aí.

Por: Audrey Faria – Psicóloga comportamental, Organizacional e Clínica e Coaching profissional e pessoal.

*Alguns trechos do blog: Brinqueduque

Envie seu comentário