Os 6 Princípios da Andragogia

Os 6 Princípios da Andragogia

O QUE É ANDRAGOGIA?

A principal definição é creditada a Malcolm Knowles (conhecido como o ‘Pai da Andragogia’): “é a arte ou ciência de orientar adultos a aprender”. Na visão da Andragogia Brasil, é uma ciência da educação onde aprende-se sobre os adultos e a utiliza-se os melhores métodos para ensiná-los. São ‘novos’ caminhos e estratégias de aprendizagem, que podem ser aplicados tanto no mundo empresarial, quanto no acadêmico, ou seja, em qualquer sala de aula, hoje vamos fazer um pouco mais sobre os princípios da andragogia.

Uma educação baseada em um modelo andragógico sustenta-se em algumas premissas, dentre elas, a experiência do aluno, o autoconhecimento e a motivação. Para se ter a atenção de um adulto, é necessário fazê-lo sentir que está ganhando algo prático e real, que agrega valor na sua vida pessoal e/ou profissional. Assim que despertar o interesse de um adulto, terá a sua possível participação no processo de aprendizado e poderá “utilizá-lo” como parte de sua didática.

Os 6 Princípios da Andragogia:

Os Princípios da Andragogia

1. Necessidade – Aplicabilidade

Os adultos são estimulados a aprender conforme vivenciam as necessidades que a aprendizagem satisfará. Portanto, o curso ou treinamento deve ser relevante, deve estar relacionado com as atividades profissionais e contribuir para a solução de problemas reais.

2. Autonomia – Autodiretividade

Os aprendizes adultos têm forte necessidade de se autodirigir, de decidir quando, como e o que querem aprender. Porém, nem todos os adultos aprendem da mesma forma. As diferenças individuais entre as pessoas aumentam com a idade. Portanto, dentro dos princípios da andragogia, deve-se prever as diferenças de estilo, tempo, lugar e ritmo de aprendizagem.

3. Experiências prévias

Os adultos gostam de compartilhar suas experiências e conhecimentos acumulados. Os relatos podem servir como base para a construção de novos conhecimentos.

Os Princípios da Andragogia

4. Interatividade

A interação entre os aprendizes e com o multiplicador é essencial para a qualidade da aprendizagem. Para isso, é preciso que haja o estímulo de situações interativas, como discussões, debates, atividades em grupo, cases e jogos.

5. Clima de segurança e respeito

Os adultos tendem a ter orgulho de si mesmos, de suas conquistas, experiências e conhecimentos, e não gostam de se sentir expostos perante outras pessoas. O clima de aprendizagem deve ser acolhedor, respeitoso e seguro durante todo o treinamento, evitando intimidações e constrangimentos. Geralmente, no início de um treinamento os adultos adotam uma postura reservada até perceberam que o ambiente não é “ameaçador”. Pessoas tímidas levam mais tempo para ficarem à vontade.

6. Reflexão – Feedback

Os aprendizes devem ter a oportunidade de praticar os novos conhecimentos e de refletir sobre sua prática, analisar e avaliar seu próprio desempenho. Só assim poderão descobrir novas perspectivas e opções de aprimoramento. Nesse sentido, o feedback do instrutor ou dos colegas é muito valioso.

Os Princípios da Andragogia

Com isso observamos que os Princípios da Andragogia estão muito relacionados com a história da educação de adultos, com a filosofia, neurociência, psicologia do desenvolvimento humano, dentre outras áreas. Se tornar um andragogo é passar a dedicar-se aos estudos da educação, compreender o comportamento humano e estar atualizado com as práticas de ensino e aprendizagem.

Você é um ensinador, que tal, colocar em pratica esses Princípios da Andragogia.

Gostou do nosso artigo? Deixe seu comentário abaixo!

Leia mais sobre Educação

Fonte: CPDEC

Envie seu comentário